Por que o matcha é processado em moinhos de pedra?

Quem olha o matcha pela primeira vez, deve pensar: como será que ele chega a ficar tão fininho assim? Não tem segredo. O matcha é o resultado de folhas jovens de Camellia Sinensis moídas no moinho de pedra. 

Este processamento tradicional surgiu na China, foi aperfeiçoado no Japão e se difundiu por outros importantes países produtores, como a Coreia, sendo, até hoje, utilizado. Essa técnica preserva características únicas das folhas e garante a alta qualidade do chá em pó resultante, sendo utilizada há séculos e considerada essencial para a produção do autêntico matcha.

Além disso, existem algumas razões principais para o uso do moinho de pedra. Confira abaixo:

Preservação das propriedades do chá

O moinho de pedra tritura as folhas jovens de chá verde de forma lenta e delicada, garantindo que o processo de moagem seja feito em baixa temperatura. Isso é fundamental para preservar as propriedades naturais do chá verde, como sabor, aroma, cor e nutrientes. Em temperaturas mais altas, muitos desses componentes podem ser perdidos. Uma moagem mal feita, por exemplo, pode resultar em um matcha amarelado e amargo.

O moinho de pedra garante processamento em baixa temperatura, preservando qualidade e características como aroma e sabor | Foto: Namu Matcha

Textura fina e uniforme

O moinho de pedra é capaz de reduzir as folhas de chá verde em um pó muito fino e uniforme, o que é essencial para obter a textura suave e sedosa do matcha. Isso também permite que o pó se dissolva facilmente em água quente durante o preparo, resultando em uma bebida homogênea, agradável na boca e sem grumos.

Respeito às tradições

A moagem do matcha em moinhos de pedra é um processo trabalhoso e artesanal, que requer habilidade e atenção dos produtores. Essa tradição de produção manual tem sido valorizada ao longo dos séculos, pois ressalta a importância da qualidade e do cuidado na produção do chá.

Menos calor gerado

Ao contrário de outros métodos de moagem mais modernos, os moinhos de pedra geram menos calor durante o processo. Isso é importante para evitar que o matcha seja aquecido em excesso, o que poderia prejudicar suas características e propriedades.

Em resumo, o uso do moinho de pedra na moagem do matcha é uma prática tradicional que contribui para a preservação das características únicas desse chá verde em pó e reflete o valor cultural e artesanal atribuído à produção do matcha. Além da moagem, o cuidado com a plantação, o sombreamento correto, a colheita nos horários adequados, a seleção, a conservação e vaporização, são todos processos que influenciam diretamente na qualidade e sabor do matcha.

O matcha da Namu é produzido em Hadong, Coreia do Sul, região produtora mais antiga do país e que preserva as tradições, como a colheita manual e os moinhos de pedra. Por lá, famílias inteiras se dedicam à arte do chá há centenas de anos e muitas gerações de tea masters aperfeiçoaram o matcha que chega até você, exaltando a história e as tradições culturais do local. 

Os queridinhos!

  • Matcha Premium – Grau Barista

    R$89,00
  • Matcha Culinário

    From R$59,00
  • Matcha Cerimonial

    R$119,00
  • Matcha Vanilla 150g

    R$99,00